Lá vem Maria

O MENINO DA PORTA DO BANCO

set. 21, 2011 por

Descobri que o menino da porta do banco,
Aquele que recolhe das mesas fartas, as migalhas,
Pensa como meu filho,
Sente como meu filho,
Mas não sonha como sonha meu bem cuidado filho.

Descobri que o menino da porta do banco,
Aquele que recebe a piedade que destronou a justiça,
Argumenta como meu filho,
Raciocina como meu filho,
Mas não vai bem na escola como vai meu bem amado filho.

Descobri que a escola,
Que muito acredita em meu filho,
Não acredita no menino da porta do banco.

(Escrito em 2000 e dedicado aos meninos que, com meu trabalho, não consegui ajudar a resgatar)

Posts Relacionados

Compartilhar

2 comentários

  1. Haruan

    Lembro desse poema.

  2. admin

    É do tempo em que vocês tinham que dividir a casa com os professores…lembra?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *