Lá vem Maria

O outro lado do cinza

mar. 30, 2013 por

Mulheres esqueléticas, enrugadas e cinza, com cabelos cinza, pele cinza, olhos cinza, vestimentas cinza, segurando vassouras e ancinhos cinza, que varriam cinzas no espaço concavo e cinza.

Fumaça cinza subindo do chão cinza revolvido pelas mulheres cinza, tomava o ar cinza.

Nas cinzas elas moldavam o que haveria de vir.

Não demorou muito para que  a dona do sonho cinza  deixasse a casa e o local onde vivia e enterrasse desejos antes alimentados e seguisse tecendo novos propósitos. Não demorou muito para que deixasse outras casas e outros locais e outros desejos e seguisse tecendo outros propósitos até que as cinzas os cobrissem.

Seguiu sobrepondo cinzas até que engoliram as crenças e a força. Com a alma descolorida  mergulhou no espaço côncavo e cinza.

Na cinza fria preparou a própria poção e, aproveitando os resíduos que impregnavam o corpo,  deu novas cores a própria história.

Posts Relacionados

Compartilhar

1 comentário

  1. This is very interesting, You’re a very skilled blogger. I have joined your rss feed and look forward to seeking more of your magnificent post. Also, I have shared your website in my social networks!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *